IGREJA UNITARISTA geocities

Home page of pat1 - www.Geocities.ws

*********Conheça a Igreja Apocaliptica do Oitavo DIA  www.igrejaapocaliptica.blogspot.com.br
IGREJA UNITARISTA DE BELO HORIZONTE-
Convido-lhe  a  participar  das  reuniões  da CONGREGAÇÃO UNITARISTA  ou atuar como “Obreiro” ou “Obreira”
Você  pode continuar  frequentando  sua igreja.
Reuniões serão todos os domingos de 09:00   às  12:00  horas.
As  reuniões serão  no  seguinte formato :
Várias  mesas retangulares  com  cadeiras  ao redor e sobre  a mesa um  CÁLICE  COM  UMA  VELA ACESA dentro .Sobre a mesa haverá jornal ,  revista , livro  e a biografia pessoal e profissional  de pessoas  sentadas  ao redor  da mesa.
Ninguem deve  pedir licença  para entrar  ou  sair  da  reunião  nem pedir licença para ler  a biografia dos que  estiverem sentados .
Quem  quiser pode ficar somente escutando conversas  e quem quiser falar deve levantar dedo.
Haverá  empréstimo domiciliar gratuito  de livros e revistas.
Podem participar : Cristãos ,Judeus, Bahais,  Budistas , Hinduistas , Animistas , Espíritas , Ateus , Agnósticos , etc. 
Rua Padre Eustáquio , 1610   Telefone  3082-2088    
Igreja  que  congrega crentes, agnósticos, anti-religiosos e ateus que pretendem melhorar o mundo atraves de mobilização politica

O membros dessa igreja acreditam que:

1 - Uma oração por dia basta. Duas ou mais orações são "muletas psicologicas"! 

2 - Deus ouve orações das pessoas que trabalham todo dia,estudam alguma coisa todo dia,escutam palestras anti-religiosas todo dia, lëem escritos anti-religiosos todo dia, conversam com pessoas anti-religiosas ou ateias todo dia, e atuam como militante politico todo dia.

3 - Milhões de pessoas ja disseram e milhões dizem  que "Jesus e Maome apodreceram no tumulo" !

Porisso todos devemos salvar a nos mesmos !

Tödos tëm direito a uma vida feliz agora porque nunca houve prova de que havera ressureição dos mortos.


4 - Todas as pessoas devem votar e pedir votos para os melhores cidadãos em eleição de sindico de predio , diretor de qualquer associação, vereador,deputado, dirigente sindical ou partidario etc.:

Os melhores cidadãos são os que combatem os denominados "burocratas-ladrões".
Os piores cidadãos são os funcionários públicos civis ou militares, ativos ou aposentados , que não combatem os "burocratas-ladrões".

Os melhores cidadãos são tambem os que tem as seguintes caracteristicas: saude e fisico perfeitos, visão 20 x 20 , altura acima de 1,63, ficha limpa na Policia, Forum , Cartorio , SPC, etc. casado legalmente com pessoa com essa qualidades, com 1 ou 2 filhos menores de 21 anos, morador em imovel legal.

Todas as pessoas devem ajudar e pedir ajuda para os melhores cidadãos.
 
Objetivos especificos dos socialistas:
- a denúncia  da perversidade de um modêlo político ditatorial ou autoritário ou anti-democrático, que é o que permite a existência de mais de um partido político eleitoral, a propriedade de mais de um imóvel residencial ou comercial por cada pessoa , a ocupação de mais de um emprêgo ou cargo público, a ocupação de cargo de diretoria em mais de uma empresa, etc.
- a denúncia da perversidade de um modêlo econômico que visa em primeiro lugar  o lucro, com o aumento da desigualdade que gera miséria , fome e morte. 
Almejar por uma vida confortável , usufruindo de bens e serviços que o dinheiro propicia , é direito de todos.

Rua Padre Eustaquio, 1610 - Telefone 3082-2088 - Bairro Carlos Prates - Belo Horizonte 

Você possui uma mente independente?
Conheça o Unitarismo

Você está procurando por algo de novo em sua jornada espiritual?

Eis aqui uma visão religiosa que definitivamente é diferente:

* Um movimento religioso no qual os indivíduos são livres para usar a razão e desenvolverem suas próprias crenças.
* Vê Jesus como um homem a ser seguido e não como um deus a ser adorado.
* Não possui dogmas ou credos que prendam as pessoas às crenças de eras passadas, mas está aberto aos insights de novos pensamentos e novas descobertas.
* Adapta novas idéias de outras fontes, incluindo outras religiões.
* Não discrimina pessoas com base em coisas como gênero, identidade de gênero, orientação emociono-sexual, raça, cor, classe sócio-econômica, etc.

OS UNITARISTAS:

* Buscam uma estrutura espiritual e moral para a vida baseada na paz, compreensão e justiça.
* Esforçam-se para entender, aceitar e respeitar uns aos outros.
* Afirmam a unidade essencial da humanidade e sua interdependência com toda a vida do nosso planeta.
* Alegram-se em receber TODAS AS PESSOAS!

Unitaristas sempre existiram, mas foi apenas durante a Reforma Protestante, no século XVI, que o nome surgiu quando a Igreja Unitarista da Transilvânia foi fundada por Dávid Ferenc. Nós unitaristas temos uma tradição de questionar a fé na qual crescemos para descobrir verdades a respeito de seus ensinos espirituais.

Temos, no decorrer de nossa história de mais de quatro séculos, interpretado as palavras da Bìblia para encontrar maneiras de entender o mundo no qual vivemos e a maneira como as pessoas respondem aos desafios da fé. Historicamente, os unitaristas se puseram contra leis que impediam as pessoas a pensarem independentemente. Ficamos do lado dos direitos humanos e da igualdade das mulheres. Apoiamos o direito de todas as pessoas serem tratadas com justiça. Lutamos em favor de melhores oportunidades para os menos privilegiados. Por trás de tudo isso estava e está a crença de que ser cristão é ser o Bom Samaritano e amar o próximo. Temos uma longa tradição de responsabilidade social baseada em valores espirituais. E assim, o Unitarismo se espalhou por várias partes do mundo.

Unitaristas já foram perseguidos e excluídos socialmente por crerem que a ciência não deva ser impedida pela religião, mas que deva ser livre para explorar suas fronteiras. A ciência deve ser desafiada a se juntar e dar ouvidos aos debates éticos que suas descobertas causam.

Nós unitaristas somos indivíduos, mas estamos unidos como peregrinos espirituais. Buscamos iluminação para nós mesmos. Respeitamos os mesmos valores encontrados em outras tradições de fé. Temos uma visão de um mundo de paz, onde todos tenham a oportunidade de viver em paz sem medo ou discriminação. No progresso do mundo, nós unitaristas já desempenhamos papéis importantes – seja como Presidentes dos Estados Unidos, como cientistas importantes, ou simplesmente como alguém que se ergueu e disse: “Eu sou Unitarista”!

A Igreja Unitarista não é cristã. Não é nem  deísta, como Voltaire. O unitarismo declara-se “uma fé sem credo” e proclama que sua doutrina é uma mistura de princípios cristãos, judaicos, budistas, naturistas, ateístas e agnósticos. 

CONGREGAÇÃO UNITARISTA DE PERNAMBUCO – http://sites.google.com/site/unitarista/

Guia sobre el  Unitarismo Universalista  :  http://buscaunitaria.blogspot.com.br/      http://www.uula.org/  http://lcum.blogspot.com.br/   http://pt.encydia.com/es/Unitarismo_universalista     http://unitariouniversalismo.wordpress.com/     http://br.groups.yahoo.com/group/UUBrasil/

Serviços de culto

Os serviços de culto normais ocorrem tradicionalmente no domingo de manhã. Habitualmente são encontros semanais ainda que os grupos menores possam optar por reunirem-se quinzenalmente ou mensalmente. É o momento em que toda a congregação se reúne para celebrar sua fé em comunidade.

Os serviços costumam iniciar com uma peça musical enquanto os assistentes tomam assento e centram seus pensamentos no ato que vão compartilhar. Desde os anos 1960 do século passado é cada vez mais freqüente que o ministro ou um membro da congregação acenda uma chama num cálice ou taça enquanto recita umas palavras relativas à fé que compartilham todos os assistentes (que são geralmente distintos em cada sessão, sem seguir nenhuma norma fixa). O Cálice Aceso se converteu no símbolo de identificação compartilhado pela maioria dos grupos Unitários de todo o mundo e costuma ser utilizado também como logotipo em suas páginas Web e em suas publicações.

 

Leia o artigo de Helio Schwartsman :

A Religião  vai acabar ?http://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/961100-a-religiao-vai-acabar.shtml

                                                                              xxxxxxXXXXXXxxxxxx

Unitário Universalismo Brasil     http://unitariouniversalismo.wordpress.com

Olá:

Alguma vez você já pensou que, basicamente, todas as religiões buscam o mesmo e que a humanidade seria mais pacífica se as pessoas se dessem conta disso?

Alguma vez já lhe ocorreu que o (mistério) divino venerado em todas as partes do globo e por diversos povos tem os mesmos objetivos?

Você nasceu no seio de uma família religiosa, mas às vezes sente que a religião que seus pais lhe transmitiram não responde a muitas das perguntas que você se faz?

Seu cônjuge não professa a mesma religião que você e vocês andam em busca de um lar comum onde seus filhos possam crescer sem ter que escolher entre as crenças de um ou de outro?

Você busca um espaço em que se transmita a seus filhos uma educação espiritual baseada em valores e não em dogmas?

A você interessa fazer de seus filhos pessoas pensantes, inquisitivas, reflexivas, profundamente tolerantes a diferentes pontos de vista, semeadores de paz, construtores da justiça?

Você entende a religião mais como uma questão pessoal, ética e filosófica passível de ser analisada, do que como algo para ser aceito com fé cega?

Você pensa que a religião não deveria brigar com a razão?

Você acha que as suas preferências sexuais não deveriam ser motivo para não ser aceito em uma igreja, nem para que sua união não possa ser abençoada?

Você se considera um humanista apaixonado pela democracia, tolerância, justiça e questões sociais, políticas e ecológicas que afetam o mundo em que vivemos?

Você se considera um ser espiritual, até mesmo místico, mas nenhuma das religiões já estabelecidas o convence?

Se você tem a inquietude de compartilhar conosco sua busca de respostas a estas perguntas, convidamos você a ser parte de um grupo no qual ninguém acredita ter toda a razão e todas as vozes têm direito a ser escutadas.

Quem somos nós.

Somos um grupo que privilegia as pessoas mais do que as instituições, um grupo que pretende menos ser uma igreja estabelecida do que consolidar-se como uma comunidade fraternal de seres questionadores, preocupados com o mundo e desejosos de participar na criação de seu futuro.

Um grupo no qual acreditamos em fazer o bem porque é justo e decente, não porque achamos que vamos ganhar um prêmio no além. Convidamos você a crer não na vida após a morte, mas na vida ANTES da morte.

Convidamos você a viver o desafio que implica ser tolerante, reconhecer o valor e a dignidade de todas as pessoas, levar a cabo uma busca livre e responsável pela verdade e pelo sentido, respeitar a trama interdependente da qual todos somos parte, lutar por uma comunidade universal com justiça, liberdade e paz…

A SOCIEDADE UNITÁRIA DE SÃO PAULO é um grupo que se reúne mensalmente e que, como você, mais que pretender encontrar respostas únicas, estamos interessados em formular as perguntas verdadeiras… Como você, não gostamos que nos digam em que TEMOS que acreditar, sob pena de ir ao inferno se não o fizermos.

Você imagina um lugar onde budistas, ateus, cristãos, judeus, espíritas, livres-pensadores, católicos, hinduístas, agnósticos, protestantes, muçulmanos, taoístas e pagãos possam conviver pacificamente? Parece impossível?

Os Unitários-Universalistas vêm se reunindo ao redor do mundo há séculos e vêm demonstrando que é possível adorar em comunidade ao mistério supremo, qualquer que seja seu nome. ADMIRA-NOS A BELEZA, CELEBRAMOS O MISTÉRIO DA VIDA, REPUDIAMOS QUALQUER TIPO DE FANATISMO.

Convidamos você a ser parte de um espaço virtual sem censura e sem dogmas no qual nenhuma pergunta espiritual é imanente e não há respostas corretas ou equivocadas. Visite-nos em nosso grupo de discussão onde queremos que você compartilhe conosco suas perguntas, suas buscas, suas experiências místicas, espirituais e/ou religiosas. Permita-nos ser parte de sua jornada pessoal em busca da verdade e do sentido. Em nosso site você também encontrará informações sobre os lugares e objetivos de nossas reuniões mensais na Grande São Paulo.

                                                                                                            xxxxxxxXXXXXXXxxxxxxx

iGREJA POLITICA

 


CELSO BRANT

Nasceu em Diamantina, onde iniciou o curso primário, terminando-o no Grupo Escolar D. Pedro II, em Belo Horizonte. Fez o curso secundário no Colégio Arnaldo e o superior na Faculdade de Direito da UFMG, onde foi professor. Foi secretário particular do Governador Clóvis Salgado e seu chefe de gabinete no Ministério da Educação.
Ministro da Educação no Governo de Juscelino Kubitscheck, foi eleito Deputado Federal, em 1956 e 1960, sendo cassado pela Ditadura Militar em 1964, pelo Ato Institucional nº 1.
Em 1989, candidatou-se para a Presidência da República pelo PMN, partido por ele fundado. Foi Secretário do Trabalho, da Assistência Social, da Criança e do Adolescente, de Minas Gerais durante o Governo de Itamar Franco. Liderou o movimento "A Nova Inconfidência", além de escrever semanalmente para vários jornais de todo o Brasil.
Faleceu em Belo Horizonte, no dia 24 de abril de 2004.

Visite o site dele: www.celsobrant.pro.br 

   

A TROCA DO CAPITALISMO LIBERAL PELO CAPITALISMO SOCIALISTA

A cultura é o acréscimo do homem à natureza . Todos os seres vivos aceitam o mundo como ele é. Exceto o homem . Insatisfeito com o mundo , o homem resolveu ampliar os seus horizontes , utilizando-se, para isso , da sua maior descoberta , que é a liberdade . A liberdade é uma rebelião do homem contra a natureza .
O acréscimo do homem à natureza no terreno das riquezas materiais é que constitui o capitalismo . O capitalismo é o único instrumento de criação de riqueza que o homem criou até hoje e é a parte mais valiosa e permanente da cultura humana .
É absolutamente destituída de base a idéia de que o capitalismo é o contrário do socialismo . E a razão é simples : o capitalismo é uma teoria econômica e o socialismo , uma doutrina política . Uma teoria econômica não pode ser o contrário de uma doutrina política .
Como todo instrumento de ação econômica , o capitalismo tem de estar a serviço de um projeto político . Os projetos políticos fundamentas são o Liberalismo ou Individualismo , e o Socialismo . O Liberalismo considera que os interesses do indivíduo podem prevalecer sobre os da sociedade . E o Socialismo acha que os interesses coletivos devem prevalecer sobre os do indivíduo . O capitalismo poderia unir-se ao Liberalismo ou ao Socialismo , isto é, servir aos interesses do indivíduo ou da sociedade . Preferiu, até aqui , fazer o jogo da minoria , que sempre controlou o processo político . Esse foi o seu grande mal , que levou a humanidade à sua atual situação de fome , miséria , ignorância , guerra e destruição .
Caberá ao Terceiro Mundo substituir o capitalismo liberal pelo capitalismo socialista , fazendo com que as riquezas do mundo passem a servir a todos os homens , e não mais a um grupo de privilegiados.
A Social Democracia , que é o socialismo do Primeiro Mundo , ou seja, o socialismo da Casa Grande , isto é, da minoria , não é socialismo nenhum , porque se baseia na continuidade da exploração da maioria , a senzala . Caberá ao Terceiro Mundo a criação do socialismo verdadeiro - o socialismo da senzala , em que o poder passará a servir , primeiro à maioria e, depois , à totalidade dos homens .
Fazer socialismo na Casa Grande é fácil : trata-se, apenas , de redistribuir rendas e riquezas dentro de uma mesma família , já de si rica . Já o socialismo do Terceiro Mundo será arcado por uma imensa criação de rendas e riquezas .
Essa revolução radical só será visível através de uma gigantesca mobilização de todos os povos e de todos os seus recursos para a criação de riqueza suficiente para tornar possível a todos os povos e a cada homem a sua plena realização .

Jornal Diário da Tarde , 27 de fevereiro de 2004, página 02

 


   

CIENTISTAS POLÍTICOS OU ADVOGADOS POLÍTICOS ?

A primeira coisa que os cientistas políticos deviam aprender é que não existem cientistas políticos . Por uma razão simples : a política não é, e não poderá ser nunca uma ciência . A política não é ima ciência mas um conhecimento . A diferença entre o conhecimento e a ciência está em que esta liga-se à natureza , e aquele , ao homem . O conhecimento é um produto da cultura , e a ciência , da natureza .
A natureza tem leis certas , necessárias , eternas e imutáveis . Do conhecimento são deduzidas leis que dependem de determinadas circunstâncias para se cumprir . As leis da natureza são certas , previsíveis; as do conhecimento , incertas, imprevisíveis , como tudo que depende do homem .
O conhecimento está baseado na indução , partindo do princípio de que se uma experiência , várias vezes repetida, leva ao mesmo resultado , é provável que na próxima repetição , o resultado continue o mesmo . Em política , a experiência nos ensina que , em situação normal , determinados fatos se repetem.
A política está subordinada à vontade humana e, como tal é imprevisível . Não existem lei em política , mas simples saber baseado na experiência . Os " cientistas políticos ", na verdade , são " advogados políticos ", isto é, profissionais a serviço das defesa de determinados interesses . Como os advogados, os " cientistas políticos " estão a serviço de quem lhes paga . E como quem tem melhores condições de pagar dão os ricos , os " cientistas políticos " estão, normalmente , a serviço das classes dominantes . São , na sua imensa maioria , turiferários do poder . Apesar de ser a mais importante de todas as atividades humanas, a política foi a única que não se desenvolveu como passar dos séculos . As nossas democracias , por exemplo , estão longe da primeira experiência democrática da história , a democracia direta da Grécia, quando o povo de Atenas, no século V antes de Cristo , se reunia na agora , e livremente discutia e resolvia os problemas da cidade . A democracia direta grega , na verdade , não era democracia nenhuma, pois dela só participava uma insignificante minoria da população ateniense . Era uma democracia de minoria , como aliás , todas as outras democracias que a Humanidade conheceu até aqui . E democracia de minoria pode ser tudo , menos democracia . Ao procurar se fazer passar por " cientistas políticos ", Esses advogados dos interesses das minorias buscam, na verdade , acobertar , sob o manto da seriedade científica , os seus vis propósitos de defesa de uma ordem social injusta , baseada na mais sórdida exploração do homem pelo homem . O seu objetivo não é lutar contra a alienação humana , mas ampliar os seus limites para que os donos da vida possam, tranqüilamente , desfrutar os seus privilégios . A nossa cultura é, toda ela , alienante. Quanto mais culto o homem , mais alienado por serem as informações que são lançadas no seu robô interior , na sua maioria , destorcidas. Nessa tarefa de mistificar , de enganar , de iludir , os " cientistas políticos " têm tido importante participação, ajudando a manter o povo na ignorância a fim de que as classes dominantes não se sintam ameaçadas no usufruto do poder .
Se, ao invés de estar a serviço , permanentemente , da minoria , a política fosse usada para atender à maioria , a história da Humanidade seria outra e, há muito tempo , todos os homens já teriam tido oportunidade de viver uma vida , não digo feliz , mas mais digna de ser vivida .

Rio , Segunda-feira , 4 de agosto de 1997

 
   





Trechos selecionados dos livros “Teologia da Libertação versus Teologia da Submissão”e "O grande Despertar":


DA MESMA FORMA  QUE OS NOSSOS GOVERNANTES SÃO PREPOSTOS DO IMPERIALISMO AMERICANO , NAQUELA ÉPOCA AS AUTORIDADES ERAM DELEGADOS DE ROMA

      Não é  por acaso que dois mil anos  de Cristianismo deram como resultado não uma sociedade cristã , mas uma  sociedade anticristã :  na origem de tudo vamos encontrar uma opção política inadequada. Não é verdade que  o Cristianismo se tenha conservado à  margem dos problemas políticos, já  que  sua missão é  essencialmente apostólica. Todas  as  entidades  que integram a sociedade humana estão envolvidas no processo político. Nascido dentro  de uma  realidade política , o Cristianismo dela participou sempre , de forma decisiva. Quando Cristo disse  “ dai  a Cesar o que  é  de Cesar , e a Deus o que é  de Deus”, não fez  uma opção contra  a política , mas a favor dela : mostrou que, mesmo antes de servir a Deus , e exatamente para servi-lo melhor , o homem deve cuidar do governo da Terra, do qual depende a sua felicidade e o bem-estar de todos. Da absoluta impossibilidade de separar religião e política  Cristo teve experiencia própria : a sua tarefa era mais religiosa , mas como elevar a ação religiosa sem melhorar as condições políticas ? Ainda hoje se discute se Jesus era ou não um revolucionário. Na  realidade êle o era no sentido de que, nas sociedades humanas , tais como as conhecemos , é subversivo aquele que procura fazer cumprir a lei natural. Ele mesmo o disse  no “sermão da Montanha” : Não julgueis que  vim destruir a lei ,ou os profetas. Não vim para destruí-los,  mas para dar-lhes cumprimento.”
      É fantástico como, dois mil anos passados, nada tenha mudado no mundo  e a situação do Brasil , por exemplo, seja em tudo parecida com a  da Judeia na época  de Cristo. Da mesma forma como os nossos governantes são agora   prepostos  do imperialismo americano, naquela época as autoridades eram delegados de Roma , cujos interesses deveriam ser colocados acima dos direitos do seu próprio povo. Contra isso  se colocou Cristo, não por ser um político, mas por ser um defensor do homem, da sua nobresa e da sua dignidade.Os donos do Poder sempre prestigiaram  a  religião, por ver nela um freio contra as justas aspirações do povo a uma vida mais feliz, razão por que os escribas   e os fariseus tinham as simpatias das autoridades romanas , enquanto  a pregação de Cristo era considerada subversiva. Mas, subversiva por que ? Porque ao conscientizar e mobilizar o povo Jesus nele acordava o desejo de lutar pela justiça e pela libertação.

       Jesus foi condenado por tentar subverter a religião e a ordem política na judéia. O seu processo repete o mesmo roteiro usado pelos poderosos para eliminar os que tentam contra a sua segurança : traido por Judas Iscariotes , foi preso no Jardim das Oliveiras e entregue ao Sinédrio que, depois de torturá-lo e humilha-lo, o mandou ao governador romano Pôncio Pilatos que o fez chegar ao rei Herodes . Devolvido pelo rei a Pilatos ,este pensou em castigá-lo apenas com açoites, mas pressionado pelos sacerdotes , o povo exigiu que cristo fosse crucificado. Entre a libertação de Barrabás , o ladrão, e Cristo , o justo , o povo, açulado pelos sacerdotes , preferiu a libertação de barrabás.

 

 

       O grande desafio que nós, brasileiros, temos de enfrentar, é acabar com a alienação política, fonte dos maiores males da Humanidade , berço da  injustiça, da fome e da miséria, geradora de todas as  guerras e do descompasso entre o que desejamos e o que fazemos. No momento em que  se abre mão  do seu poder político, o homem  passa  a ser um objeto, perdendo o sentido da sua grandeza. O alienado político é  um escravo no sentido de que transfere para outra pessoa as decisões fundamentais de sua vida. Assemelha-se a  um tutelado ou curatelado , incapaz de defender os seus interesses  vitais e de fazer valer os seus direitos  imprescritíveis. 
       O exercício do poder político é tão  importante para o homem quanto  o direito de  respirar.A sua expressão , numa democracia, não é  apenas o direito de votar e de ser votado,  mas a plena participação na  vida pública. o poder político é  a soma de todos os poderes. todos os seguimentos da sociedade devem organizar-se e defender os seus pleitos e interesses , e apresentar sugestões para a solução  dos problemas gerais. Os partidos políticos  devem ser fortes e bem estruturados, poisn são os sustentáculos da democracia. Uma vezn vitoriosos e no poder, esses partidos deixam de representar os grupos que os elegeram e passam  a  atuar em nome da coletividade ,como um todo. Só  o atendimento aos anseios gerais , aos interesses  e às necessidades coletivas , dá  legitimidade ao governo.
 
.............................................................................................................................................................................................................................
 
A   AUTOMOBILIZAÇÃO 


Da mesma forma que qualquer marcha começa pelo primeiro passo, toda mobilização tem início com a automobilização. Por melhores que tenham sido suas condições  de berço  e de educação , cada homen realiza , na vida , 30% do que  poderia realizar. Mas há  homens que se realizam plenamente e alguns vão além do limite  natural dos 100%. È  o caso , por exemplo, de Maomé, que , embora jamais tivesse frequentado uma escola e fosse analfabeto, transformou-se no autor do mais importante  livro da lingua árabe e no grande líder do seu povo.

      Foi só aos quarenta anos de idade que Maomé tomou conhecimento da sua  missão, através de aviso que  lhe foi trazido por um mensageiro celestial depois identificado como o Arcanjo Gabriel. Encontrava-se, então, em retiro espiritual nos desfiladeiros  do Monte  Hira , nos arredores de Meca. Era o mes  de Ramadan. 
      Certa noite, tendo adormecido na caverna, surgiu-lhe o mensageiro, que já o havia visitado antes, trazendo dessa vez um pedaço de tecido com  algumas inscrições.
      - Igrá !  ( Lê ! )  - ordena-lhe  o mensageiro.
      - Não sei  ler ! -  responde Maomé .
     O mensageiro lança-se sobre êle, sobre êle, subjuga-o , envolve seu pescoço com o pano , como  se fosse sufocá-lo e, soltando-o, repete a ordem :
     - Ingrá !
     Não sei ler!  torna a responder.
     O mensagerio novamente o aperta, como se fosse estrangulá-lo.
     - Ingrá ! - repete pela terceira vez.
      - Como posso ler ? - geme Maomé , cada vez mais aturdido.
     - Ingrá ! - ordena  a estranha criatura, ainda mais ameaçadora , mas sentindo que alcançava,enfim , o seu objetivo.
     Maomé leu,  então, por revelação :  
     Lê o nome do Senhor, que criou,
     que criou o homem do nada.
     Lê , o teu  Senhor é  o mais generoso. 
     È aquele que instruiu o homem com  a pena,
     que   ensinou o homem  aquilo que êle não sabia !

     Ao ler  essa palavra, Maomé  sentiu-se  como que iluminado por uma luz  celestial .
     Percebeu que  havia sido escolhido por Deus para uma alta e nobre missão : a de guiar o seu povo no caminho da salvação. De repente , o emissário desapareceu, êle acordou, abriu o olhos e sentiu que o mundo em que despertava era diferente daquele em que havia adormecido. 
     Isso  aconteceu no ano 610  da era cristã.
     Por motivo alheio á  sua vontade Caaba , eram adorados 365 deuses. Maomé  substituiu  esses numerosos deuses por um só :  quem  ama um único Deus é mais forte do que quem ama vários.

     Esse exemplo de automobilização talvez seja o mais extraordinário da história humana e, para explicá-lo o próprio  Maomé apelava para a intervenção divina : o que êle ditava aos escribas lhe era sussurrado ao ouvido por uma voz mais alta.
                                                                                          xxxXXXxxx



É HORA  DE DESMASCARAR MAOMÉ - O PERIGO ISLÃMICO - AUTOMOBILIZAÇÃO

Geert Wilders, quarta-feira, 31/03/2011

Para saber por que o Islam é um perigo mortal, deve-se considerar não só o Corão, mas também o caráter de Maomé, que concebeu o Corão e o Islam em sua totalidade.

O Corão não é só um livro. Os muçulmanos acreditam que o próprio Alá o escreveu e que ele foi ditado a Maomé na versão original, o Umm al-Kitab, que fica sobre uma mesa no Céu. Consequentemente, não se pode discutir seu conteúdo. Quem ousaria discordar do que o próprio Alá escreveu? Isto explica muito do comportamento maometano, da violência da jihad ao ódio e à perseguição aos judeus, cristãos e outros não-muçulmanos e apóstatas. O que nós no Ocidente consideramos anormal é perfeitamente normal para o Islam.

Um segundo problema insuperável para o Islam é Maomé. Ele não é qualquer um. Ele é al-insan al-kamil, o homem perfeito. Para se tornar muçulmano, deve-se pronunciar a Shahada (o credo muçulmano). Ao prounciar a Shahada, a pessoa testifica que não há deus que mereça ser adorado, exceto Alá, e testifica que Maomé é seu servo e mensageiro.

O Corão e, portanto, Alá, estabelecem que a vida de Maomé deve ser imitada. As consequências disto são horrendas e podem ser testemunhadas em uma base diária.

Muito se analisou a sanidade mental de Maomé. Apesar de todas as pesquisas disponíveis, elas raramente são mencionadas ou debatidas. É tabu discutir a verdadeira natureza do homem que um bilhão e meio de muçulmanos ao redor do mundo consideram um profeta sagrado e um exemplo a ser seguido. Este tabu deve ser quebrado no Ocidente e aqui nos Países Baixos.

Ali Sina é um ex-muçulmano iraniano que fundou a organização de apóstatas do Islam Faith Freedom International. Em seu último livro, ele sustenta que Maomé é um narcisista, um pedófilo, um assassino em massa, um terrorista, um misógino, um parasita, um líder de culto, um louco, um estuprador, um torturador, um assassino e um saqueador. Sina ofereceu 50 000 dólares para quem puder provar o contrário. Ninguém ainda reclamou a recompensa. E não é de se admirar, já que a descrição se baseia nos próprios textos islâmicos, como os hadiths, as descrições da vida de Maomé a partir do testemunho de seus contemporâneos.

O Maomé histórico foi o líder selvagem de uma gangue de assaltantes de Medina. Sem escrúpulos, eles saquearam, estupraram e assassinaram. As fontes descrevem as orgias de selvageria em que as gargantas de centenas de pessoas foram cortadas, mãos e pés foram amputados, olhos foram arrancados, tribos inteiras massacradas. Um exemplo é a extinção da tribo judia de Banu Qurayza, em Medina, em 627. Um dos que arrancou suas cabeças foi Maomé. As mulheres e crianças foram vendidas como escravas. Ao nos depararmos com a loucura dos terroristas islâmicos de hoje, não é difícil descobrir de onde esta loucura vem.

Em Viena, a ativista de direitos das mulheres Elisabeth Sabaditsch-Wolff foi recentemente condenada a pagar uma multa por insultar uma religião, ao chamar Maomé de pedófilo. Entretanto, isto é verdade. Vários hadiths contêm testemunhos da esposa favorita de Maomé, a esposa-criança Aisha. Aisha literalmente diz: "O profeta me desposou quando eu tinha seis anos de idade e teve relação comigo quando eu tinha nove."

De acordo com o historiador Teófanes (752-817), Maomé era epilético. Crises de epilepsia às vezes são acompanhadas por alucinações, transpiração na testa e espuma na boca, os mesmos sintomas que Maomé apresentava durante suas visões.

Em seu livro "The Other Muhammad" [O outro Maomé] (1992), o psicólogo flamengo dr. Herman Somers conclui que, na casa dos quarenta anos, o "profeta" começou a sofrer de acromelagia, uma doença causada por um tumor na glândula pturitária, um pequeno órgão situado logo abaixo do cérebro. Quando o tumor na glândula pturitária causa pressão demais no cérebro, a pessoa começa a ver e ouvir coisas que não estão lá. Eis o diagnóstico psico-patológico da doença de Maomé, segundo Somers: distúrbio alucinatório orgânico com características paranóicas.

O historiador médico Armin Geus fala de uma esquizofrenia alucinatória paranóica. Uma análise similar pode ser encontrada no livro "The Medical Case of Muhammad" [O caso clínico de Maomé], do dr. Dede Korkut.

Em seu livro "Psychology of Mohammed: Inside the Brain of a Prophet" [A psicologia de Maomé: Por dentro do cérebro de um profeta], o Dr. Masud Ansari chama Maomé de "a encarnação perfeita de um psicopata no poder." Maomé tinha uma personalidade paranóica fora de controle, com um complexo de inferioridade e tendências megalomaníacas. Na casa dos quarenta anos, ele começa a ter visões que o levam a acreditar que ele tem uma missão cósmica e que ninguém vai detê-lo.

A verdade nem sempre é agradável ou politicamente correta. Com base nas pesquisas acima mencionadas, pode-se sustentar que o credo islâmico obriga um bilhão e meio de pessoas ao redor do mundo, incluindo o milhão vivendo nos Países-Baixos, a tomarem Maomé como seu exemplo. Não há retorno depois que uma pessoa se torna muçulmana, pois embora o artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos afirme que toda pessoa tem o direito a "mudar sua religião ou crença", no Islam há a pena de morte por deixar a fé.

Quem quer que expresse críticas ao Islam e a Maomé está em grave perigo pessoal -- como é o meu caso. E quem quer que tente escapar da influência do Islam e de Maomé corre risco de vida. Não podemos continuar a aceitar este estado de coisas. Um debate público sobre a verdadeira natureza e o caráter de Maomé podem resultar na conscientização e no apoio aos muçulmanos do mundo inteiro que desejam deixar o Islam.

Os apóstatas são heróis e mais do que nunca eles merecem o apoio dos que amam a liberdade em todo o mundo. Os partidos políticos não devem interferir neste assunto. É hora de nós ajudarmos estas pessoas, expondo Maomé.

Geert Wilders é deputado nos Países-Baixos. Ele é presidente do Partido da Liberdade (PVV)

xxxxxxxxxxxxxXXXXXXXXXXXXxxxxxxxxxxxx

 

 

Mobilização

O QUE É A MOBILIZAÇÃO 
:: Instrumento cívico de conscientização de massas, direcionado para objetivos programáticos.
:: Mobilizar é trazer mais um irmão brasileiro para integrar a força que irá se espalhar por todos os Bairros, Vilas, Municípios e Estados, pressionando os poderes a acatarem as decisões e reivindicações populares.
:: É fiscalizar, denunciar os corruptos e exigir de governantes e funcionáros públicos, o respeito ao povo e o fiel cumprimento de suas obrigações, sem esperar dos cidadãos qualquer tipo de recompensa ou vantagem pessoal.

COMO MOBILIZAR
:: Em primeiro lugar, é preciso se integrar aos princípios filosóficos, programáticos, humanistas, patrióticos e fraternais com seus semelhantes.
:: O Mobilizador deve se interessar por todos os problemas que afligem a sociedade brasileira, ainda que aparentem ser apenas de âmbito local.
:: O Município é a célula mater da Nação. O Brasil é constituído de mais de 5.000 municípios. O conjunto de micros problemas forma um macro problema.
:: O imobilismo da população em relação aos problemas de seu município, leva ao agravamento da questão e a sua extrapolação, passando a afetar outros municípios circunvizinhos.
:: O imobilismo em relação aos problemas regionais, tende a afetar a situação de vida em outros Estados, levando um grande número de pessoas a viver em condições sub-humanas.
:: O imobilismo em relação aos problemas nacionais, desorganiza a sociedade e gera o caos social.
:: O Mobilizador deve aproveitar todas as oportunidades que tiver, sem se importar com o número de pessoas (uma ou cem), para transmitir a mensagem política 
:: O Mobilizador deve ser paciente com o seu interlocutor, otimista, transmitir confiança e certeza de que tudo depende da MOBILIZAÇÃO DO POVO.
:: Enquanto as pessoas estiverem isoladas, cada qual tentando resolver seus problemas individuais, alienadas em relação a sociedade na qual vivem, estarão neutralizadas e enfraquecidas, permitindo que as elites que se alimentam desse caos, permaneçam no poder.
:: MOBILIZADOR; lembre-se que somente a união produz a força que gera a felicidade e a sua segurança.

QUEM NÃO SE PROGRAMA É PROGRAMADO
CONSCIENTIZE-SE E MOBILIZE-SE
AJUDE A CONSCIENTIZAR E MOBILIZAR

 
 ENSAIOS DE ROBERT G. INGERSOLL     SOBRE A BÍBLIA SAGRADA 

Robert Green Ingersoll (1894) 

Tradução: Afonso M. C. Amorim 

Fonte: 
infidels.org/library/historical/robert_ingersoll/about_the_holy_bible.html

 

Alguém tinha de dizer a verdade sobre a Bíblia. Os padres não ousariam, porque seriam expulsos de seus púlpitos. Professores nas escolas não ousariam porque assim, perderiam seus salários. Políticos não ousariam. Eles seriam derrotados. Editores não ousariam. Perderiam seus leitores. Comerciantes não ousariam. Perderiam seus clientes. Homens da alta sociedade não ousariam. Perderiam prestígio. Nem balconistas ousariam. Eles seriam dispensados. 

Então, decidi eu mesmo fazer isto. 

Há milhões de pessoas que acreditam que a Bíblia é a palavra inspirada de Deus -- milhões que crêem que este livro é um cajado e uma guia, conselheiro e consolador, que ele preenche o presente com paz e o futuro com esperança -- milhões crêem que ele é a fonte da lei, da justiça e piedade, e que através de seus sábios e benignos ensinamentos o mundo conquistou sua liberdade, riqueza e civilidade -- milhões que imaginam que este livro é uma revelação da sabedoria e amor de Deus na mente e coração do homem -- milhões que têm neste livro como uma tocha que conquista a escuridão da morte e que 
derrama seu brilho numa outra vida -- uma vida sem lágrimas. 

Eles esquecem sua ignorância e selvageria, seu ódio à liberdade, sua perseguição religiosa; eles lembram do céu mas esquecem as masmorras do sofrimento eterno. Eles esquecem que este livro aprisiona a mente e corrompe o coração. Esquecem que ele é inimigo da liberdade de pensamento. Liberdade é minha religião. Liberdade de mãos e mente -- de pensamento e trabalho. Liberdade é uma palavra odiada pelos reis. Abominada pelos papas. É uma palavra que abala coroas e altares. É uma palavra que já deixou coroados sem súditos, e as mãos estendidas da superstição sem esmolas. Liberdade é o fruto da justiça. O perfume da piedade. Liberdade é semente e solo, o ar e a luz. O orvalho e a chuva do progresso, amor e alegria. 

I - A ORIGEM DA BÍBLIA 

Algumas famílias de viajantes -- pobres, esfarrapados, sem educação, arte ou poder; descendentes daqueles que foram escravizados por centenas de anos; ignorantes como os habitantes da África Central e recém-fugidos dos seus senhores no deserto de Sinai. Seu comandante era Moisés, um homem que havia sido educado pela família do faraó que havia aprendido a mitologia e as leis do Egito. Com o propósito de controlar seus seguidores ele fingiu que fora instruído e assistido por Jeová, o deus dos fugitivos. Tudo o que acontecia era atribuído à interferência do seu Deus. Moisés dizia que encontrara esse Deus cara a cara; que no topo do Monte Sinai ele recebera as tábuas de pedra nas quais, pelos dedos de Deus, os dez mandamentos haviam sido escritos, e que Jeová havia dito quais os sacrifícios e cerimônias que o agradavam e quais as leis que deveriam governar esse povo. 

Deste modo a religião judaica e o código de leis foram estabelecidos. 

Não foi dito que esta religião e esse código de leis se estenderiam a toda a humanidade. 

Naquela época esses andarilhos não tinham qualquer relacionamento com outros povos. Não havia linguagem escrita, eles não sabiam ler ou escrever. Não havia meios de trazer essas mensagens a outros povos, de modo que elas ficaram enterradas no linguajar dessas tribos ignorantes, miseráveis e desconhecidas por mais de dois mil anos. 

Muitos séculos depois de Moisés, o líder, estar morto, muitos séculos depois que todos os seus seguidores já não mais existissem, o Pentateuco foi escrito, o trabalho de muitos escribas, e para dar força e autoridade, disseram que Moisés fora o autor. 

Sabemos hoje que o Pentateuco não foi escrito por Moisés. 

Cidades são mencionadas que não existiam na época em que Moisés viveu. 

Dinheiro, cunhado séculos após sua morte, é citado. 

Então, muitas regras não se aplicavam a viajantes do deserto -- leis sobre agricultura, sobre o sacrifício de bois, ovelhas e bezerro, sobre tecelagem de roupas, sobre colheitas, sobre o preparo de sementes, sobre casas e templos, sobre cidades e refúgios, e sobre muitos outros assuntos que nada diziam respeito a migrantes famintos do deserto e das pedras. 

Hoje admitem os Teólogos inteligentes e honestos que Moisés não foi o autor do Pentateuco, mas todos admitem que ninguém sabe quem eram os autores, quem escreveu qual daqueles livros, este ou aquele capítulo e linha. Sabemos que os livros não foram sequer escritos numa mesma geração. Que não foram escritos por uma só pessoa. Que está repleto de erros e contradições. Sabe-se que Josué não escreveu o livro que leva seu nome porque trata de eventos que ocorreram muito tempo após sua morte. 

Ninguém conhece ou finge conhecer o autor dos julgamentos; o que sabemos é que foi escrito séculos após os julgamentos deixarem de existir. Ninguém conhece o autor de Ruth, nem o primeiro e segundo de Samuel; o que sabemos é que Samuel não escreveu os livros que levam seu nome. No 28º capítulo do primeiro Samuel é citada a criação de Samuel pela bruxa de Endora. 

Ninguém sabe quem foi o autor do primeiro e segundo livro dos reis ou o primeiro e segundo livro das Crônicas; tudo o que sabemos é que esses livros são de nenhum valor. 

Sabemos que os Salmos não foram escritos por David. Nos Salmos a escravidão é citada, e isto não aconteceu até quinhentos anos após David ter ido dormir com seus pais. 

Sabemos que Salomão não escreveu os livros dos Provérbios ou as Canções; que Isaías não foi o autor do livro que leva seu nome; que ninguém sabe o autor de Eclesiastes, Jó, Ester, ou qualquer outro livro do Velho Testamento, com exceção de Ezra. 

Sabemos que Deus não é mencionado ou de qualquer outra maneira citado no livro de Ester. Sabemos também que o livro é cruel, absurdo e impossível. 

Deus não é mencionado no salmo de Salomão, o melhor livro do Velho Testamento. 

E sabemos que Eclesiastes foi escrito por um não-crente. 

Sabemos que os judeus não decidiram qual dos livros eram inspirados -- autênticos -- até o segundo século depois de Cristo. 

Sabemos que a idéia da inspiração teve um crescimento gradual, e que a inspiração havia sido determinada por aqueles que tinham certos fins a atingir. 

 

Para continuar a leitura visite o site http://www.mphp.org/racionalismo/sobre-a-biblia-sagrada---robert-g.-ingersoll.html

Palestra de Robert  Green Ingersoll  no Clube Unitariano de Nova York  http://www.infidels.org/library/historical/robert_ingersoll/unitarian_club.html


Robert Green Ingersoll  , chamado "o grande agnóstico" disse :
"Minha crença é que o sobrenatural teve o seu dia. A igreja deve mudar ou abdicar. Isto é, deve acompanhar  o progresso do mundo, ou andar mancando dolorosamente com um pé. A igreja deve continuamente manter  contato com as pessoas. A multidão cuida de disputas pequenas as igrejas devem se importar com questões práticas que afetam sua vidas diárias ".
 E em outro lugar, ele disse: "A verdadeira religião deve ser livre. Sem a perfeita liberdade de espírito não pode haver verdadeira religião. Sem liberdade o cérebro é um calabouço e mente um condenado. "
Cristianismo Liberal  ou  cristiianismo unitarista http://cristianismoprogressista.blogspot.com.br/
Doze provas da inexistência de Deus, de Sebastien Faure - http://ateus.net/artigos/critica/doze-provas-da-inexistencia-de-deus/

http://www.infidels.org/

A Web Secular é possuído e operado por infiéis Internet, Inc., uma 501 (c) (3) organização educacional sem fins lucrativos dedicada à defesa e promoção de uma visão naturalista do mundo na Internet. Naturalismo é a "hipótese de que o mundo natural é um sistema fechado" no sentido de que "nada que não seja uma parte do mundo natural afeta." Como tal, "o naturalismo implica que não existem entidades sobrenaturais", como deuses, anjos, demônios, fantasmas, espíritos ou outro ", ou pelo menos nenhum que realmente exerce o seu poder para afetar o mundo natural". [1] E, sem intervenções milagrosas na natureza de um reino espiritual, nem a oração nem magia são mais eficazes do que um placebo. 

Diferenças   entre   Religião   e  Espiritualidade :  http://auroraseocasos.blogspot.com.br/search?updated-max=2011-11-20T22:20:00-02:00&max-results=1&start=1&by-date=false

 

 

O filósofo e escritor suíço Alain de Botton propôs a construção de um prédio de mais de 45 metros de altura que serviria como uma espécie de templo para ateus. O templo seria construído no coração ...

Todo dia, quase três mil pessoas tiram a sua vida no mundo inteiro. A Bíblia identifica um dos principais motivos de tantas pessoas chegarem a esse ponto. 
Ela explica que vivemos em "tempos críticos, difíceis de manejar". As pessoas sofrem muito com as pressões do dia a dia. (2Timóteo 3:1; Eclesiastes 7:7) 
Quando alguém se sente sufocado pelas ansiedades da vida, ele talvez pense em cometer suicídio como uma forma de fugir do sofrimento.
VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO– Você talvez ache que não há saída para a sua situação, mas lembre-se de que você não está sozinho e que infelizmente quase
 TODO MUNDO, está passando por algum tipo de problema.
A Bíblia diz: "Toda a criação junta persiste em gemer e junta está em dores até agora.” (Romanos 8:22) É verdade que você talvez não consiga ver uma
 solução imediata para seu problema, mas as coisas costumam melhorar com o passar do tempo. Enquanto isso, o que pode ser de ajuda?...
 
Frequentar as reuniões  da Igreja Unitarista - Rua Perdões, 125 pode resolver

 www.humanismosecular.org

"O Humanismo é uma postura de vida democrática e ética, que afirma que os seres humanos têm o direito e a responsabilidade de dar sentido e forma às suas próprias vidas. Defende a construção de uma sociedade mais humana, através de uma ética baseada em valores humanos e outros valores naturais, dentro do espírito da razão e do livre-pensamento, com base nas capacidades humanas. O Humanismo não é teísta e não aceita visões sobrenaturais da realidade."

 

 

"A palavra Humanismo deriva do latim humanus, que significa "humano". Podemos definir brevemente um humanista como alguém cuja visão do mundo confere grande importância aos seres humanos, à vida e ao valor do ser humano. O Humanismo realça a liberdade do indivíduo, a razão, as oportunidades e os direitos."

Gaarder, Jostein em O Livro das Religiões

"... procura, sem recorrer à religião, o melhor nos seres humanos e para os seres humanos."

Chambers Pocket Dictionary (Dicionário de Bolso Chambers)

"... uma doutrina, atitude, ou modo de viver centrado nos interesses ou valores humanos; em particular: uma filosofia que normalmente rejeita o sobrenatural e dá enfâse à dignidade do indivíduo e ao seu valor e capacidade para a auto-realização pessoal através do uso da razão."

Merriam Webster Dictionary (Dicionário Merriam Webster)

"... um apelo ao uso da razão, em vez de revelações ou autoridades religiosas, como uma forma de partir à descoberta do mundo natural e do destino do homem, e, também, para desenvolver uma base para a moralidade... A ética humanista também se distingue por a sua acção moral ter como objectivo alcançar o bem-estar da humanidade, em vez de procurar cumprir a vontade de Deus."

Oxford Companion to Philosophy (Acompanhante da Filosofia Oxford)

"A rejeição da religião em prol do avanço da humanidade pelo seu próprio esforço."

Collins Concise Dictionary (Dicionário Conciso Collins)

"O que é característicamente humano, e não sobrenatural, o que pertence ao homem e não a forças externas, o que eleva o homem à sua maior altura ou lhe dá, enquanto homem, a maior satisfação."

Encyclopedia of the Social Sciences (Enciclopédia das Ciências Sociais)

Religião para ateus

por ANSELMO BORGES23 Junho 2012298 comentários

 

Uma amiga tinha-me oferecido a tradução francesa do livro, com o título: Pequeno guia das religiões para uso dos não crentes. Rapidamente, apareceu também a tradução em português, seguindo o título original: Religion for Atheists. Entretanto, o autor, Alain de Botton, passou por Lisboa, para lançar a obra, que parece ser um êxito.

Alain de Botton assume-se como ateu convicto. Mas é talvez a partir da descrença que melhor se veja os benefícios das religiões, que os ateus deveriam recuperar. Há, de facto, necessidades cruciais sempre presentes, que são a razão das religiões e para as quais a sociedade profana não mostrou capacidade de resposta eficaz: "a necessidade de viver harmoniosamente em comunidade, apesar dos nossos impulsos egoístas e violentos profundamente enraizados" e "a necessidade de enfrentar graus terríveis de sofrimento por causa da nossa vulnerabilidade perante o fracasso profissional, as dificuldades das nossas relações com as pessoas próximas, o desaparecimento dos seres queridos e a nossa própria decrepitude".

Somos particularmente vulneráveis à solidão. Ora, aí está, por exemplo, a Missa, lugar de encontro de conhecidos e desconhecidos: aí está "a possibilidade rara de saudar um desconhecido sem correr o risco de ser julgado importuno ou louco". Aí, partilha-se a igualdade: "monarcas e magnatas ajoelham-se e inclinam-se diante da estátua de um carpinteiro". E, quando os fiéis, numa catedral, entoam o "Gloria in excelsis Deo", percebe-se que esta multidão é bem diferente das dos centros comerciais: um cântico exaltante que nos leva a pensar que "afinal, a humanidade talvez não seja uma coisa tão miserável".

No Dia da Expiação, Yom Kipur, os judeus, reunidos na sinagoga, repetirão: "Pecámos, agimos de modo pérfido, roubámos, caluniámos. Agimos de modo obstinado, e mau, e com presunção, fomos violentos, mentimos...". E é a possibilidade da reconciliação do culpado e da vítima, de quem causou o mal e de quem o padeceu e sofre. É aí também que se situa a confissão católica, com o perdão que chega a partir de Deus e que permite um novo recomeço.

Nas nossas sociedades libertárias, não se tolera repreensões morais, já que a liberdade é considerada a virtude política suprema e cada um deve poder agir à sua vontade. Mas então é o que se sabe e vê. As religiões, porém, são mais realistas em relação ao ser humano e, por isso, sabem dar orientações concretas para os vários domínios da existência. É que, por exemplo, "a insolência e a humilhação afectiva podem ser tão corrosivas como o roubo e o assassínio."

John Stuart Mill disse que "a finalidade das universidades não é tanto formar magistrados, médicos e engenheiros competentes como formar seres humanos capazes e cultos." Segundo Matthew Arnold, uma educação cultural autêntica devia inspirar em nós "o amor dos nossos semelhantes, o desejo de dissipar a confusão humana e diminuir a miséria humana" e não devia gerar nada menos do que "a nobre aspiração de deixar o mundo melhor e mais feliz do que o encontrámos". De facto, a universidade moderna parece quase não se preocupar com inculcar nos seus estudantes "aptidões emocionais ou éticas e, ainda menos, ensiná-los a amar os seus semelhantes e a deixar o mundo mais feliz do que o encontraram." A razão disso está, segundo Botton, no declínio do ensino das Escrituras: instalou-se a esperança de que "a cultura poderia ser não menos eficaz do que a religião na sua aptidão para guiar, humanizar e consolar."

Alain de Botton é particularmente sensível à arte sacra e nomeadamente à arquitectura. O feio poderá abençoar a nossa alma? A beleza é "uma versão perceptível da virtude". O cristianismo não nos deixa qualquer dúvida quanto à finalidade da arte: "é um meio de nos lembrar o que conta", da ternura à compaixão, da compreensão ao amor e à abertura e encontro com a transcendência.

Aí ficam breves apontamentos sobre um livro belo. Raramente se chamou tão bem a atenção para as dimensões humanizantes das religiões.

 

                                                                                                                                 xxxxxxxxxxxXXXXXXXXXXXXXxxxxxxxxxxxx

Partícula Deus ou partícula de Deus? Implicações teológicas

LEONARDO BOFF

02/02/2013

Desde os anos 60 do século passado, físicos teóricos se punham a questão: como podem as partículas elementares sem  massa que surgiram com o big bang, ganharem massa, após trilhonéssimas fracções de segundo? Qual foi a partícula ou o campo energético que conferiu massa às partículas virtuais e assim fez irromper a matéria que compõe todo o universo?
         Sabemos e, o faço de forma extremamente pedestre, que a matéria (segundo Einstein éenergia altamente condensada) é composta por partículas elementares: topquarks e léptons. Quando estes se unem dão origem aos prótons e aos nêutrons. Esses, por sua vez, se unem e formam o núcleo atômico. Léptons, de carga negativa, são atraídos pelo núcleo atômico, com carga positiva e juntos formam os átomos. De átomos se compõem todos os seres existentes.
         Portanto, topquarks e léptons são os tijolinhos básicos com os quais todo o universo e nós mesmos somos  construídos. Junto com estas partículas elementares agem as quatro forças originárias que ordenam todo o universo, cuja natureza, a ciência não conseguiu ainda decifrar. Elas atuam conjuntamente e respondem pela expansão, ordenação e complexificação de todo o processo cosmogênico: a força gravitacional, a eletromagnética, a nuclear fraca e forte.
         Peter Higgs (*1929) um tranquilo pesquisador de física teórica da universidade deEdinburgo na Inglaterra, sugeriu que deveria existir uma partícula, um bóson ou um campo energético, responsável pela massa de todas as partículas. O físico Leon Lederman (Nobel de Física) chamou-a de partícula de Deus. Outros a denominaram de partícula Deus, porque ela é a criadora de toda a matéria do universo.
         Que seria esse bóson Higgs ou campo Higgs? Os físicos o imaginam como um fluidoviscoso finíssimo que enche todo o universo, à semelhança do éter de Aristóteles e da física clássica. Quando as partículas elementares sem massa, puramente virtuais, tocam esse bóson ou interagem com o campo Higgs sofrem resistência, são freadas, pressionadas e consolidadas e destarte ganham massa e peso.
         No dia 4 de julho de 2012 no Grande Colisor de Hádrions entre a Suíça e a França, após acelerar partículas que colidiam, quase à velocidade da luz, os cientistas do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN) identificaram uma partícula que preenche as características atribuídas ao bóson de Higgs. Supõe-se que seja ele ou outra partícula similar, mas que efetivamente confere massa às partículas elementares.
         Esta verificação confirma o modelo standard do universo originado pelo big bang; daí a sua importância.
         Mas como entra Deus nisso tudo? Se dissermos que esta partícula é Deus, seguramente a teologia não o  aceitaria, pois faria de Deus uma parte do universo. Ele é mais. É aquela Energia de Fundo, aquele Abismo possibilitador e sustentador do universo, que antecede ao big bang. Ele estaria além do “muro de Planck”, o limite intransponível, anterior ao tempo zero a partir do qual  em 10 na potência 43 de segundos após o big bang teria surgido a matéria do universo. Atrás deste muro se esconde aquela Energia poderosa e amorosa que origina tudo, inalcançável  pela física mas acessível pela mística.
         Se dissermos que o bóson de Higgs é a partícula de Deus podemos teologicamente aceitá-lo; seria o meio pelo qual Deus traria à existência as partículas materiais e assim todo o universo: um atoexclusivamente divino. Essa é a ontologia originária de Deus. A partícula de Deus nos mostra como se cria tudo o que nos é dado ver. Filosófica e teologicamente diria: ela nos revela como  Deus fez surgir o mundo. E esse ato não se encontra no passado, mas se realiza em cada momento e em todas as partes do universo e também em nós que estamos à mercê desta partícula de Deus. Caso contrário tudo deixaria de ser, voltaria ao nada.Mas como a criação é contínua, aqui estamos.

O livro O Tao da Libertação: explorando a ecologia da transformação de M.Hathway e L.Boff foi premiado nos USA em 2010 com a medalha de ouro em Ciência e Cosmologia. Está em português pela Vozes 2012.

                                                                                          xxxxxXXXXXXXXXXXxxxxx

                                                     ORAÇÃO  AO   SANTO  ESPEDIAL   http://twextra.com/ap7mv8

Glorioso Santo Especial
Sei que vós  quando habitou entre nós , foi  homem com saude e físico e olhos perfeitos , que  foi casado legalmente com pessoa  com essas qualidades e que tiveste filhos lcom essas qualidades.
Sei que quando casou era proprietário de imovel próprio quitado ou financiado situado em loteamento legal.
Sei  que sempre teve ficha limpa no SPC , policia e forum.

Glorioso Santo Especial, nosso pai e mestre, conhecedor das luminosas sendas de Deus e também dos tortuosos caminhos dos homens; admiramos as maravilhas que a Graça divina operou em ti, fazendo-te apaixonado testemunha da verdade e do bem, ao serviço dos irmãos.

Glorioso Santo Especial : ensina-nos a ler a história à luz da Providência divina, que guia os acontecimentos ao encontro definitivo com o Pai. Orienta-nos pra as metas de paz, alimentando em nosso coração teu próprio anelo por aqueles valores sobre os quais é possível construir, com a força que provém de Deus, a Cidade na medida do homem. 

Que a profunda doutrina, que com amoroso e paciente estudo tiraste das fontes vivas da Escritura, ilumine os que hoje são tentados por alienantes imitações. 

Dá-lhes o valor de empreender o caminho àquele "homem interior" onde está à espera Aquele que, sozinho, pode dar a paz ao nosso coração inquieto. 

Muitos contemporâneos nossos parecem ter perdido a esperança de poder alcançar, entre as numerosas ideologias contrastantes, a verdade, da qual, todavia, o íntimo neles conserva a abrasadora lembrança. 

Ensina-lhes a não desistir jamais da busca, na certeza de que, ao final, seu esforço será premiado pelo encontro satisfatório com a Verdade suprema que é a fonte de toda a verdade criadora. 

Finalmente, santo Especial, faz que, caminhando juntos sob a guia dos legítimos Pastores, alcancemos a glória da Pátria celeste, onde, com todos os santos, poderemos unir-nos ao cântico novo do aleluia sem fim. Amém. 

                                                                          xxxxxxxxxxxxXXXXXXXXXxxxxxxxxx

PAI NOSSO EM ARAMAICO - TRADUZIDO PARA PORTUGUÊS

Na Igreja do Pai Nosso, no Monte das Oliveiras, em Jerusalém, na Palestina, há versões da oração "Pai Nosso", ensinada por Jesus Cristo, em centenas de idiomas falados pelo mundo, inclusive o português.

Existe lá, também, a versão em aramaico, que está gravada em uma pedra de mármore branco. O aramaico, originário da Alta Mesopotâmia (séc VI ac), era o idioma usado pelos povos da região e era a língua na qual Jesus Cristo falava às pessoas.

Há uma tradução livre, do aramaico para o português, do Pai Nosso gravado na pedra, e da qual provavelmente se derivou a oração que conhecemos da Bíblia. Reproduzimos abaixo a pedra e sua tradução:

ABVUM D'BASHMAÍA
" Pai-Mãe, respiração da Vida, 

Fonte do som, Ação sem palavras, Criador do Cosmos ! 
Faça sua Luz brilhar dentro de nós, entre nós e fora de nós 
para que possamos torná-la útil.

NETCÁDASH SHIMÓCH
Ajude-nos a seguir nosso caminho 
Respirando apenas o sentimento que emana do Senhor.

TETÊ MALCUTÁCH UNA
Nosso EU, no mesmo passo, possa estar com o Seu, 
para que caminhemos como Reis e Rainhas 
com todas as outras criaturas.

NEHUÊ TCEVIANÁCH AICANA D'BASHIMÁIA AF B'ARHA
Que o Seu e o nosso desejo, sejam um só, 
em toda a Luz, assim como em todas as formas, 
em toda existência individual, assim como em todas as comunidades.

HÔVLAN LÁCMA D'SUNCANÁN IAOMÁNA
Faça-nos sentir a alma da Terra dentro de nós, 
pois, assim, sentiremos a Sabedoria que existe em tudo.

UASHBOCAN HÁUBEIN UAHTEHÍN AICÁNA DÁF QUINAN SHBUOCÁN L'HAIABÉIN 
Não permita que a superficialidade e a aparência das coisas do mundo nos iluda,  
E nos liberte de tudo aquilo que impede nosso crescimento.

UÊLA TAHLAN L'NESIÚNA. ÊLA PATSSAN MIN BÍXA
Não nos deixe ser tomados pelo esquecimento 

de que o Senhor é o Poder e a Glória do mundo, 
a Canção que se renova de tempos em tempos 
e que a tudo embeleza.

METÚL DILÁHIE MALCUTÁ UAHÁILA UATESHBÚCTA LÁHLÁM. 
Possa o Seu amor ser o solo onde crescem nossas ações. 

ALMÍN
Amém


JEAN MESLIER - O Padre Ateu


JEAN MESLIER – O padre ateu

 Meslier foi um vigário de aldeia que viveu no norte da França entre os anos de 1664 e 1729. Ele foi autor de uma obra contundente e radical por meio da qual expressou toda a sua indignação contra a opressão e as injustiças sociais cometidas contra os camponeses durante o reinado de Luís XIV.
A solução por ele proposta para tais mazelas encontramos no seu manuscrito intitulado Memória dos pensamentos e dos sentimentos de Jean Meslier, concluído em 1720, e nas Cartas aos curas, provavelmente redigidas na mesma época. E consiste no ideal de uma sociedade fundamentada no ateísmo e na propriedade coletiva da terra.
Porém, para realizá-lo, Meslier preconiza, muito antes dos jacobinos, dos anarquistas e dos bolcheviques, a união de todos os explorados e oprimidos em torno do estrangulamento do último rei com as tripas do último padre (MESLIER 3, I, p. 23).
“Meslier nega categoricamente o dogma da criação do universo”
O fato de ser padre e paradoxalmente ateu e comunista nos primeiros anos do século XVIII é uma situação, além de inusitada, bastante significativa, sobretudo se analisarmos o pensamento de Meslier da perspectiva da história da filosofia.
Quando contextualizamos historicamente o seu posicionamento filosófico, político e ideológico, percebemos que Meslier foi, com efeito, um pensador muito singular. Tal singularidade torna-se ainda mais nítida quando comparamos a sua doutrina à dos expoentes do Iluminismo francês.
Do ponto de vista metafísico, Meslier nega categoricamente o dogma da criação do universo (ibidem, II, p. 186 e 209), por conseguinte, as idéias de divindade, transcendência e de providência ordenadora da natureza (ibidem, II, p. 149).
Seu ateísmo, portanto, é inequívoco. Os deuses, sem exceção, inclusive o deus judaico-cristão, são por ele definidos como falsidades, como fábulas absurdas (ibidem II, p. 163). Os profetas e os santos são julgados charlatães, e os milagres, por sua vez, aparecem como farsas, isto é, como um produto da falta de escrúpulos dos que as sustentam combinada com a ignorância e com medo dos humildes que a elas dão assentimento (ibidem, II, p. 343).
  
“Um século antes de Nietzsche e algumas décadas antes do marquês de Sade”
Com a mesma veemência, Meslier argumenta a favor do seu materialismo, que é radical. No seu entender, tudo o que existe é material, ou seja, só há matéria no universo, apenas uma única substância na natureza. E substância para ele é toda realidade corporal. A matéria é a realidade, é o Ser propriamente dito. E como Ser, a matéria é a causa de si mesma e de tudo o que é (ibidem, II, p. 237).
A idéia da existência de uma outra substância além da matéria, uma substância imaterial e imortal, é refutada como fantasiosa. Nesse sentido, Meslier opõe-se frontalmente a Descartes, o qual concebe o homem como uma substância composta, mais precisamente como uma união substancial constituída de matéria e espírito, extensão e pensamento (DESCARTES 2, p. 81). Vale dizer que o dualismo cartesiano era a corrente hegemônica no cenário filosófico no qual se desenvolveram as reflexões de Meslier.
Além de ateu e materialista, Meslier também teceu duras críticas à religião. E não apenas à religião cristã, mais especificamente a católica, mas à religião em si mesma.
Um século antes de Nietzsche e algumas décadas antes do surgimento estrondoso do marquês de Sade, esse padre provinciano proferiu uma das maiores diatribes já proferidas contra o cristianismo, em particular contra a figura de Jesus Cristo, que é definido por ele como louco, fanático, ignorante e charlatão, como um indivíduo astuto que se aproveitou da credulidade e do desespero de pessoas ignorantes para estabelecer o seu império (ibidem, I, p. 100).
“Meslier era enfático em propor um comunismo utópico”
Do ponto de vista político e ideológico, a posição de Meslier destoa significativamente da dos demais ilustrados. Ele considerava a religião a princípio como um artifício humano; porém, como um nefasto expediente dos espertalhões, aliás, como um eficiente instrumento de dominação utilizado pelos reis, sacerdotes e demais parasitas para submeterem e manipularem os povos imersos na miséria e debilitados pelo sofrimento (ibidem, I, p. 45).
Meslier opunha-se não só ao absolutismo monárquico, mas a qualquer outro tipo de monarquia, inclusive à monarquia constitucional. Em contrapartida, defendia um governo conduzido pelos mais esclarecidos e virtuosos, no fundo, um governo do baixo clero rural, classe à qual pertencia, uma vez que esta sofria na pele as mesmas agruras que os camponeses (MESLIER 4, p. 193).
Mais: Meslier refere-se com entusiasmo aos tiranicidas (MESLIER 3, III, p. 132) e coloca-se radicalmente contra a propriedade particular (ibidem, II, p. 74). O modelo de vida social que ele tinha em vista eram as comunidades cristãs primitivas e as organizações de certas ordens monásticas.
Meslier, na verdade, não dispunha propriamente de um projeto político, porém, era enfático em propor um comunismo utópico, uma ordem social baseada na fraternidade, na valorização do trabalho e na exploração comum da terra (ibidem, II, p. 81).
“Meslier manteve o seu ateísmo e o seu ideário libertário no mais absoluto sigilo”
A propósito, em várias passagens da sua obra, ele conclama os povos oprimidos e explorados do mundo a se levantarem contra os seus tiranos, bem ao modo do Manifesto do Partido Comunista de Marx e Engels (ibidem, III, p. 147).
No entanto, a despeito da retórica inflamada e das idéias revolucionárias dos seus sermões materialistas, o PADRE ATEU foi em vida mais um revoltado, mais um indivíduo indignado com as injustiças sociais do que efetivamente um homem de ação engajado na realização dos seus ideais.
Convém ressaltar que Meslier manteve o seu ateísmo e o seu ideário libertário no mais absoluto sigilo durante toda a sua existência, e que as suas convicções e os seus escritos apenas vieram à tona postumamente, causando um retumbante escândalo.

 

 

 

 

****

*****